News

Ajude a identificar a fauna da cidade de Lisboa - PRAZO ALARGADO ATÉ 31 MARÇO


Photos Gallery

2/12/2019 (atualizado a 2/03/2020). Texto de Maria Castanheira, editado por Marta Daniela Santos. 

Registe online os animais que encontrar em Lisboa e ajude a monitorizar a biodiversidade existente na cidade - o prazo para contribuir para este inquérito, disponível AQUI, foi PROLONGADO até 31 DE MARÇO! Os dados obtidos vão permitir identificar e localizar a fauna que vive na cidade e, para tal, o contributo dos cidadãos é essencial.

Para registar a observação basta selecionar o grupo taxonómico – aves, anfíbios, morcegos, mamíferos ou répteis – colocar o pin no local onde o animal foi avistado e selecionar a espécie, com o auxílio das fotografias de apoio existentes. Caso a espécie em causa não se encontre listada, existe também a opção de adicionar uma fotografia do animal observado. Para os morcegos não existem fotografias de apoio mas pede-se que o cidadão responda a algumas perguntas simples relativas ao seu avistamento.

O inquérito inclui ainda algumas questões sobre a fauna existente na cidade, relativas à sua importância, abundância e ameaças que enfrenta. É possível ir acompanhando os registos no site e os resultados finais serão apresentados em meados de Maio.

A participação é aberta a todos os cidadãos, demorando cerca de 5 minutos a preencher o inquérito, o que varia consoante o número de espécies que registar. Todos os resultados recolhidos são confidenciais e usados apenas para investigação.

Este projeto foi desenvolvido pela Câmara Municipal de Lisboa em parceria com o Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais e o Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Lisboa no âmbito do Plano de Ação Local para a Biodiversidade em Lisboa.

Os dados recolhidos pelos cidadãos irão juntar-se aos dados de monitorização que os investigadores estão a fazer na cidade. “É importante para sabermos o que existe efetivamente na cidade de Lisboa, de forma a podermos proteger a fauna que temos, ao mesmo tempo que gerimos a infraestrutura verde, de forma a atrair mais biodiversidade, providenciar mais serviços dos ecossistemas, e assim proporcionar maior bem-estar à população da cidade”, explica Ana Catarina Luz, investigadora do cE3c envolvida neste projeto.

O projeto conta com o contributo de todos os cidadãos. De acordo com a investigadora, o envolvimento de todos é importante para dar a conhecer novas localizações de avistamentos de fauna e para que os cientistas e a administração local compreendam as preferências e o conhecimento da sociedade em termos de fauna de Lisboa.

“Já fizemos um inquérito sobre os espaços verdes mais visitados em Lisboa, e também já fizemos o levantamento de alguma biodiversidade em jardins pontuais, nomeadamente, vegetação, líquenes, borboletas e microrganismos do solo”, explica a investigadora Ana Catarina Luz. Contudo, é a primeira vez que se realiza um levantamento semelhante a este, onde se pretende conhecer a fauna existente em Lisboa a nível de aves, anfíbios, morcegos, mamíferos e répteis.

Other Articles

  • Ciência-cidadã a bordo do Navio Escola Sagres

    Project Ciência-cidadã a bordo do Navio Escola Sagres

  • Microbioma aplicado à agricultura: Workshop ‘O Microbioma’, 25 março, na Fundação Aga Khan

    Project ADIADO - Microbioma aplicado à agricultura: Workshop ‘O Microbioma’, 25 março, na Fundação Aga Khan

  • De voz afinada?

    Project De voz afinada?

  • De volta à Antártida para desenvolver um indicador ecológico

    Project De volta à Antártida para estudar os líquenes e desenvolver um indicador ecológico

  • As duas faces do nitrogénio: recurso educativo distinguido no Prémio Casa das Ciências 2019

    Project As duas faces do nitrogénio: recurso educativo distinguido no Prémio Casa das Ciências 2019