News

Trabalho de investigadores cE3c faz capa da revista científica Human Molecular Genetics


Photos Gallery

24/05/2017. Texto de Marta Daniela Santos.

Estudo sobre a origem dos primeiros sintomas da MDC1A, uma das distrofias musculares congénitas mais frequentes, é capa da edição de junho 2017 da revista científica Human Molecular Genetics. Neste trabalho estão envolvidas as investigadoras cE3c Andreia Nunes, primeira autora; Marianne Deries; e Sólveig Thorsteinsdóttir, coordenadora do estudo.

Pensava-se que os primeiros sintomas da MDC1A surgiam à nascença, ou poucos meses após o nascimento. Neste novo estudo os investigadores mostram pela primeira vez, para um modelo de ratinho com a mesma mutação, que a doença tem início antes do nascimento, envolvendo um defeito no desenvolvimento do músculo.

Estes resultados marcam uma mudança de paradigma no estudo desta doença, alertando para a necessidade de diagnóstico precoce e o desenvolvimento de terapias dirigidas contra esse defeito.

Este trabalho foi recentemente noticiado pelo cE3c, aqui.


Tags: DEM

Other Articles

  • Custos e benefícios na reprodução sexual do ácaro-aranha

    Paper Custos e benefícios na reprodução sexual do ácaro-aranha

  • Pelo menos 14% dos locais da rede Natura 2000 da Península Ibérica Ocidental estão em risco de eutrofização

    Paper Pelo menos 14% dos locais da rede Natura 2000 da Península Ibérica Ocidental estão em risco de eutrofização

  • Usar o poder da música para mudar mentalidades sobre o consumo de carne de tartarugas marinhas

    Paper Usar o poder da música para mudar mentalidades sobre o consumo de carne de tartarugas marinhas

  • Fragmentos florestais podem ser capazes de manter as suas funções ecológicas apesar da perda de espécies

    Paper Fragmentos florestais podem ser capazes de manter as suas funções ecológicas apesar da perda de espécies

  • Estudo deteta a influência do clima e altitude na circulação do agente da paratuberculose em carnívoros silvestres do Mediterrâneo

    Paper Estudo deteta a influência do clima e altitude na circulação do agente da paratuberculose em carnívoros silvestres do Mediterrâneo