News

As ondas de calor levam os girinos a adotar uma dieta mais vegetariana

2/11/2016. Texto por Marta Daniela Santos.

Um estudo agora publicado na revista científica Ecology (*), resultado da colaboração entre investigadores cE3c e da Universidade de Uppsala (Suécia), demonstra que o aumento da temperatura da água leva anfíbios omnívoros a adotar uma dieta mais herbívora. Esta descoberta exige uma reavaliação dos efeitos das alterações climáticas nos ecossistemas, uma vez que as alterações na dieta de animais omnívoros afetam vários níveis das teias tróficas. A relevância deste processo pode aumentar no futuro, visto que as projecções climáticas indicam que as ondas de calor vão tornar-se mais frequentes, intensas e longas ao longo do século.

As alterações climáticas, caracterizadas pelo aumento da temperatura média mundial e pelo aumento da frequência e gravidade dos eventos climáticos extremos, são uma das mais sérias ameaças à biodiversidade. Em particular, os eventos climáticos extremos como secas, furacões, inundações e ondas de calor expõem os seres vivos a desafios que podem levar as espécies a alterar o seu comportamento, a sua fisiologia ou mesmo as suas estratégias de vida.

O potencial para as temperaturas mais elevadas alterarem as preferências alimentares dos seres vivos tornou-se num tópico de investigação importante. Os anfíbios, com muitas espécies e populações em declínio rápido um pouco por todo o mundo, encontram-se entre os grupos sensíveis a este efeito inesperado das alterações climáticas.

O estudo demonstra que o aumento da temperatura da água leva anfíbios omnívoros a adoptar uma dieta mais herbívora. Esta é a primeira vez que assimilação de dietas mais ou menos ricas em proteínas em função da temperatura é estudada em vertebrados, e os resultados sugerem que as alterações climáticas podem ter impactos até agora desconhecidos na dinâmica dos ecossistemas.

Os investigadores do cE3c, em colaboração com a Animal Ecology Unit da Universidade de Uppsala (Suécia), estudaram como as ondas de calor afetam a dieta dos girinos de três espécies de anfíbios que ocorrem em Portugal: a rã-de-focinho-pontiagudo (Discoglossus galganoi), a rela ou rã-arborícola-europeia (Hyla arborea) e a rela-meridional (Hyla meridionalis). Em laboratório, os girinos das três espécies foram criados com base numa dieta animal, vegetal ou mista, e expostos a ondas de calor simuladas e com durações diferentes. Seguidamente, os investigadores estimaram as proporções dos alimentos de natureza animal e vegetal assimiladas pelos girinos alimentados com a dieta mista, através da análise química de isótopos estáveis.

Os investigadores descobriram que as ondas de calor aumentaram a assimilação da dieta vegetal em todas as espécies estudadas. Além disso, verificaram também que esta maior assimilação da dieta vegetal permitiu aos girinos completar a sua metamorfose em melhores condições.

Bruno Carreira, investigador cE3c e primeiro autor do estudo, explica: “Uma vez que encontrámos resultados semelhantes em outros organismos omívoros de água doce, como lagostins e caracóis, concluímos que a temperatura pode ter um efeito generalizado sobre as preferências alimentares das espécies aquáticas omnívoras, o que pode ser de grande relevância para a aquacultura”.

Rui Rebelo, líder da equipa e também investigador no cE3c, acrescenta: “Ao tornar os animais omnívoros mais “vegetarianos”, o aquecimento global e as ondas de calor encurtam o comprimento das cadeias alimentares e ameaçam a estabilidade dos ecossistemas de água doce”.

Os investigadores pretendem agora determinar se a maior assimilação da dieta vegetal a temperaturas mais elevadas se deve ao facto de os organismos alterarem directamente as suas preferências alimentares, ou se este é um efeito passivo da temperatura que afecta a digestão e assimilação de nutrientes.

(*) B. M. Carreira, P. Segurado, G. Orizaola, N. Gonçalves, V. Pinto, A. Laurila and R. Rebelo 2016. Warm vegetarians? Heat waves and diet shifts in tadpoles. Ecology 97. http://onlinelibrary.wiley.com/wol1/doi/10.1002/ecy.1541/abstract

 

Na fotografia: Rela-meridional adulta (Hyla meridionalis). Foto por Tiago Jesus.

Notícia com base no comunicado de imprensa emitido pelo cE3c a 2 de novembro 2016. 

Press coverage: [Wilder], [InfoFCUL], via Lusa - [CM Jornal], [Diário Digital], [RTP], [Público], [Visão], [Destak], [Notícias ao Minuto], [A Bola]. In the top 5% of all research outputs ever tracked by Altmetric. Ranked #1 from all outputs from Ecology journal in terms of Altmetric score (as of November 17th, 2016) - [printscreen], [direct link].


Tags: CE

Other Articles

  • Restaurar os ecossistemas para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável

    Paper Restaurar os ecossistemas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

  • Pequenas mochilas de localização GPS permitem estudar a vida dos morcegos do deserto

    Paper Pequenas mochilas de localização GPS permitem estudar a vida dos morcegos do deserto

  • Novo software educativo que simula efeitos da toma de antibióticos

    Paper Novo software educativo que simula efeitos da toma de antibióticos

  • Novo estudo acompanha as transformações do genoma do cavalo desde a domesticação

    Paper Novo estudo acompanha as transformações do genoma do cavalo desde a domesticação

  • Trabalho de equipa cE3c faz capa da revista científica Diversity

    Paper Trabalho de equipa cE3c faz capa da revista científica Diversity