News

FCULresta: está a nascer uma floresta no campus da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa


Photos Gallery

12/03/2021. Texto de Marta Daniela Santos, com base na informação oficial disponibilizada pela Ciências ULisboa. Fotografias e imagens cedidas pela equipa do projeto FCULresta.

Está a nascer uma minifloresta no campus da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. A iniciativa pioneira é coordenada por David Avelar, investigador do cE3c, no âmbito do Laboratório Vivo para a Sustentabilidade de Ciências ULisboa, e a plantação teve lugar entre 1 e 5 de março de 2021.

O que antes era um relvado com pouca utilidade e biodiversidade, em frente ao Edifício C2 de Ciências ULisboa e da Torre do Tombo, foi agora transformado na FCULresta: uma minifloresta densa, biodiversa e multifuncional que pretende ser uma referência prática e um laboratório vivo para estudantes e investigadores.

Esta minifloresta conta agora não só com mais de 600 plantas, como também com dois hotéis para insetos, um refúgio para anfíbios, outro para répteis e sensores para monitorizar o solo. “A ideia surgiu há um ano, no início da primeira vaga pandémica. Está enquadrada no projeto 1Planet4All através da VIDA, uma organização não-governamental para o desenvolvimento que trabalha com populações em Moçambique e Guiné, como ato simbólico da responsabilidade acrescida dos países ditos desenvolvidos na problemática das alterações climáticas, face aos países africanos mais vulneráveis. A intenção era fazer algo prático envolvendo e capacitando muitos jovens ativistas”, explica David Avelar, investigador do cE3c e coordenador deste projeto, que envolve vários investigadores do cE3c.

Devido ao agravar da pandemia a plantação, inicialmente prevista para dezembro de 2020, acabou por ter lugar entre 1 e 5 de março de 2021. O cumprimento de todas as medidas de segurança não impediu o entusiasmo dos 150 voluntários que contribuíram para a plantação – organizados por 10 turnos de 15 pessoas, assegurando o distanciamento físico e com a utilização obrigatória de máscara de proteção.

“Achámos que mesmo em tempos de crise como a pandemia, a saúde do Planeta deve ser cuidada sem descurar a saúde humana. Com o apoio da Faculdade criámos um plano de contingência e avançámos”, refere o investigador.

A plantação da FCULresta decorreu entre 1 e 5 de março 2021, num esforço de equipa que envolveu 150 voluntários - organizados por turnos de 15 pessoas, respeitando todas as regras de segurança face à pandemia de COVID-19. Contribuem para este projeto vários investigadores do cE3c: por exemplo Francisco Petrucci-Fonseca (em cima, à direita), Florian Ulm e Margarida Santos-Reis (em baixo, à esquerda).

A floresta está a ser criada segundo o método Miyawaki: um método de reflorestação criado pelo botânico japonês Akira Miyawaki na década de 1970 que tem dado origem a milhares de miniflorestas um pouco por todo o mundo e que, pela densidade e diversidade de espécies plantadas, que ocupam diferentes estratos e nichos, permite um ritmo de crescimento cerca de 10 vezes mais rápido do que numa floresta plantada em monocultura - algo que nunca foi provado acontecer em clima mediterrânico e que a FCULresta quer testar.

De acordo com o método Miyawaki, a floresta terá também uma alta taxa de absorção de carbono, bem como uma excelente capacidade para atrair animais e plantas, para além das já plantadas, uma boa capacidade de processar a água da chuva, melhorar a qualidade do ar e reduzir a poluição sonora, e ainda contribuir para o conforto térmico local.

A FCULresta servirá como caso de estudo para avaliar e compreender o verdadeiro potencial deste método, através do trabalho de uma equipa interdisciplinar: para além de David Avelar, fazem parte também Margarida Santos-Reis, Jorge Maia Alves, António Alexandre, Cristina Cruz, Otília Correia, Rui Rebelo, Pedro Pinho, Tiago Marques e Cristina Catita.

A plantação da FCULresta, e posterior desenvolvimento e avaliação, conta com um forte envolvimento da comunidade de Ciências ULisboa e uma equipa dedicada interdisciplinar - entre eles, vários investigadores do cE3c. À direita na imagem, Margarida Santos-Reis (cE3c, Ciências ULisboa).

“Para além da forte componente prática e de intenso envolvimento de estudantes e parcerias, a FCULresta pretende ter uma forte componente de investigação multidisciplinar. Queremos tentar perceber o contributo relativo deste método sobre os serviços de ecossistema que irá ou não providenciar. Por exemplo, será que a taxa de crescimento e absorção de carbono é significativamente superior aos métodos ditos tradicionais? Será que aquela área consegue absorver toda a água da chuva de fenómenos de precipitação extrema? Quais as espécies que crescem melhor? Existe interação entre espécies? Que outras espécies irá aquele local atrair? E pessoas? Haverá mais investigadores a utilizar este caso de estudo?”, conclui David Avelar.

Esta iniciativa é coordenada pelo Laboratório Vivo para a Sustentabilidade de Ciências ULisboa, no âmbito do projeto europeu  1Planet4All - Empowering youth, living EU values, tackling climate change, que resulta da aliança de 14 organizações não-governamentais europeias que trabalham em alguns dos países mais frágeis do mundo afetados pelas alterações climáticas.

Mais informações sobre a FCULresta na página oficial do projeto da Ciências ULisboa, AQUI.

Other Articles

  • Caravana AgroEcológica | Participação nos Encontros por uma Primavera Agroecológica - PrimaverAE2021

    Project Caravana AgroEcológica | Participação nos Encontros por uma Primavera Agroecológica - PrimaverAE2021

  • Dia Internacional das Florestas

    Project Como planear a floresta do futuro? Novo filme de animação para celebrar o Dia Internacional das Florestas

  • Inquérito no âmbito do projeto JOBToc, dirigido a agricultores/as e entidades ligadas ao setor agrícola

    Project Inquérito no âmbito do projeto JOBToc, dirigido a agricultores/as e entidades ligadas ao setor agrícola

  • How to plan tomorrow’s forest? New animated film to celebrate the International Day of Forests

    Project How to plan tomorrow’s forest? New animated film to celebrate the International Day of Forests

  • Publicado o primeiro Guia de Peixes de Água Doce e Migradores de Portugal Continental

    Project Publicado o primeiro Guia de Peixes de Água Doce e Migradores de Portugal Continental