News

Recém-criado Centro de Competências na Luta contra a Desertificação conta com envolvimento do cE3c

31/07/2018. Texto de Marta Daniela Santos. Fotografia obtida aqui. Entrevista a André Vizinho realizada por Raquel Salgueira Póvoas (Área de Comunicação e Imagem FCUL).

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) é uma das mais de trinta instituições signatárias do protocolo para a criação do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação (CCDesert), que irá ficar sediado em Alcoutim, no distrito de Faro. O cE3c contribui ativamente para o conhecimento e recomendações que serão produzidos por este centro de competências através dos seus vários investigadores que trabalham nesta área, tendo apresentado formalmente uma carta de apoio à criação do CCDesert.

Mais de trinta instituições assinaram no passado dia 19 de julho o protocolo para a criação do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação (CCDesert), entre universidades, municípios, empresas e organismos públicos e associações de produtores e desenvolvimento local. Entre os membros fundadores está a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, que foi representada na assinatura do protoloco pelo seu Diretor, Luís Carriço.

Com o objetivo de combater a desertificação em Portugal, o CCDesert irá avaliar, monitorizar e produzir informação atualizada sobre a fase dos processos de desertificação em Portugal, de forma a produzir recomendações para as diferentes entidades gestoras do território.

O cE3c irá contribuir ativamente para o conhecimento e recomendações que serão produzidas e apresentou formalmente uma carta de apoio à criação do CCDesert. “Para além da sua relevância internacional, o tema da desertificação tem uma atualidade inegável dado o aumento da área territorial nacional sujeita ao fenómeno da desertificação, e que tem sido acelerado pelo impacto das alterações climáticas”, refere Cristina Máguas, coordenadora do cE3c. “O cE3c manifesta o seu profundo apoio à criação do CCDesert, através da participação de vários dos seus investigadores que têm desenvolvido investigação nestas áreas, nomeadamente ecologia, indicadores de aridez e desertificação, alterações climáticas e restauração de áreas degradadas e desertificadas ao nível nacional e internacional, e na mitigação e adaptação das comunidades locais”.

Um dos investigadores do cE3c que tem trabalhado nestas áreas e que estará ativamente envolvido no CCDesert é André Vizinho (CCIAM-cE3c): “O combate à desertificação é uma área transversal, porque inclui conhecimentos de várias dimensões, desde o nível dos solos ao nível do clima, do comportamento das espécies, dos ecossistemas… Integrar todas estas dimensões é um desafio científico, porque implica não só conhecer muito sobre cada uma destas dimensões como integrar todo este conhecimento para conseguir ter uma ação concreta no território”, destaca André Vizinho.

Para além de André Vizinho, e de Cristina Máguas como coordenadora do centro, também a investigadora Cristina Branquinho (eChanges-cE3c), que coordenou o projeto AdaptForChange, surge como ponto de contacto para o CCDesert. São vários os investigadores que há algum tempo estudam o fenómeno nesta região - como por exemplo Pedro Pinho, Paula Matos e Alice Nunes, investigadores de pós-doutoramento no eChanges - cE3c. São também vários os projetos nesta área em que o cE3c participa ou que coordena, como o DesertWarning, o Change-Tracker ou o LIFE Desert-Adapt.

O CCDesert irá ficar sediado em Alcoutim (distrito de Faro) numa iniciativa da Câmara Municipal. Trata-se de uma das regiões mais vulneráveis à desertificação e às alterações climáticas em Portugal: “Trazer este centro de competências para esta região ajuda a ter permanentemente o foco muito claro, a trazer técnicos para o território e a gerar um maior balanço e motivação em torno desta ação. Ao mesmo tempo permite tentar reverter um pouco o lado do abandono rural e da diminuição da população”, refere André Vizinho.

Este centro de competências surge assim como um espaço de interface e articulação entre diversas instituições, para colocar o conhecimento ao serviço da sociedade. “A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, tal como todas as universidades e faculdades, tem que fazer permanentemente o esforço de traduzir o seu conhecimento para a sua utilidade no território. Este envolvimento mostra não só a nossa motivação como a nossa capacidade de articulação institucional e de gerar conhecimento e colocar esse conhecimento ao serviço da sociedade”, conclui André Vizinho.

Na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, também o IDL - Instituto Dom Luiz estará ativamente envolvido no conhecimento e recomendações que serão produzidos pelo CCDesert.

Other Articles

  • Investigadores do cE3c integram novo grupo IUCN de Especialistas em Plantas da Macaronésia

    Others Investigadores do cE3c integram novo grupo IUCN de Especialistas em Plantas da Macaronésia

  • Estudante de doutoramento do cE3c distinguido em Concurso Anual de Fotografia da Sociedade Britânica de Ecologia

    Others Estudante de doutoramento do cE3c distinguido em Concurso Anual de Fotografia da Sociedade Britânica de Ecologia

  • Concurso de fotografia, do qual o cE3c é patrocinador, dá origem a exposição no MUHNAC

    Others Concurso de fotografia, do qual o cE3c é patrocinador, dá origem a exposição no MUHNAC

  • Cristina Máguas, Coordenadora do cE3c, eleita Presidente da Federação Europeia de Ecologia

    Others Cristina Máguas, Coordenadora do cE3c, eleita Presidente da Federação Europeia de Ecologia

  • Dois investigadores do cE3c distinguidos com o Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2018

    Others Dois investigadores do cE3c distinguidos com o Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2018