News

Programa Doutoral BIODIV: Entrevista com Patrícia dos Santos


Photos Gallery

12/01/2018. Entrevista por Marta Daniela Santos. Na fotografia: Patrícia dos Santos numa expedição botânica à Arménia, em 2016.

Até à data-limite para submissão de candidaturas às 12 Bolsas de Doutoramento a concurso para o Programa Doutoral em Biodiversidade, Recursos Genéticos e Evolução (BIODIV), a 20 de janeiro 2018, vamos dar a conhecer o trabalho desenvolvido por alguns dos estudantes deste Programa Doutoral.

A entrevistada de hoje é Patrícia dos Santos: Patrícia iniciou o Programa Doutoral BIODIV recentemente, em 2017, integrada no grupo de investigação do cE3c “Ecology of Environmental Changes - eChanges”, e tem trabalhado no estudo da evolução das plantas angiospérmicas:

Qual o tema do teu projeto de doutoramento?

O tema do meu projeto de doutoramento terá como base a radiação adaptativa, um processo de especiação rápida (formação de novas espécies num curto espaço de tempo), por adaptação aos recursos disponíveis. Os exemplos clássicos deste fenómeno são os tentilhões de Darwin das ilhas Galápagos, ou os lagartos Anolis das Caraíbas, mas em plantas não há exemplos deste fenómeno.

Vou estudar um grupo de plantas suculentas originárias da Macaronésia, os Aeonium da família Crassulaceae, pois é um grupo que deu origem a muitas espécies num curto espaço de tempo – resta saber se a causa é de facto a adaptação à diversidade ecológica das ilhas oceânicas. Os parentes mais próximos dos Aeonium em Portugal são, por exemplo, o arroz-dos-telhados (Sedum album), ou o umbigo-de-Vénus (Umbilicus rupestris).

Porque escolheste o Programa Doutoral BIODIV?

Escolhi o programa doutoral BIODIV por vários motivos. O primeiro é o facto de ter a sua base em Portugal, o que vai ao encontro do meu objetivo de contribuir para a Ciência no meu país de origem. Além disso, enquadra-se na minha área de interesse científico, e é muito flexível, tanto em termos de escolha do projeto, como de orientadores e colaborações externas (nacionais e internacionais). Não há cadeiras ou cursos obrigatórios, podemos escolher o que faz mais sentido aprofundar no âmbito do nosso projeto, o que oferece bastante liberdade aos alunos.

Está a corresponder às tuas expectativas?

Para já tem correspondido, mas ainda estou no primeiro ano!

Queres deixar alguma mensagem aos estudantes que estejam a ponderar candidatar-se ao BIODIV?

Aos que têm como objetivo fazer um doutoramento nesta área da Ciência, aconselho que se candidatem, mesmo que ainda não tenham uma ideia pré-definida para a tese. Boa sorte aos candidatos!


Tags: eChanges

Other Articles

  • PhD Merit Award 2018: Entrevista a Alice Nunes

    Interviews PhD Merit Award 2018: Entrevista a Alice Nunes

  • Best Flash Talk Award 2018: Entrevista a Martina Panisi

    Interviews Best Flash Talk Award 2018: Entrevista a Martina Panisi

  • Best PostDoc Merit Award 2018: Entrevista a Gustavo Martins

    Interviews PostDoc Merit Award 2018: Entrevista a Gustavo Martins

  • Best Poster Award 2018: Entrevista a Fernando Madeira

    Interviews Best Poster Award 2018: Entrevista a Fernando Madeira

  • Best Poster Award 2018: Entrevista a Teresa Santos

    Interviews Best Poster Award 2018: Entrevista a Teresa Santos