News

Dois investigadores do cE3c distinguidos com o Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2018

18/10/2018. Texto de Marta Daniela Santos.

Paula Matos e Marc Fernandez Morron, investigadores do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), foram distinguidos com o primeiro e terceiro lugar respetivamente na edição de 2018 do Prémio de Doutoramento em Ecologia Amadeu Dias, organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO). A cerimónia de entrega dos prémios terá lugar no 17º Encontro Nacional de Ecologia, em Évora, nos dias 15 e 16 de novembro de 2018.

Os líquenes como indicadores ecológicos dos efeitos das alterações climáticas, e os cetáceos como espécies-chave em modelos de distribuição geográfica dos oceanos: são estes os temas das teses de doutoramento que valeram o primeiro e terceiro lugar a Paula Matos e Marc Fernandez Morron, na segunda edição do Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias. Luís Silva, atualmente investigador no CIBIO-InBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, Universidade do Porto), foi distinguido com o segundo lugar.

Os líquenes como indicadores ecológicos para avaliar a “saúde” dos ecossistemas

No seu doutoramento, Paula Matos teve como objetivo desenvolver indicadores ecológicos com base na diversidade funcional de líquenes, tendo inclusivamente demonstrado que os líquenes podem ser utilizados como um novo indicador ecológico global.

Doutorada pela Universidade de Lisboa e Universidade de Aveiro, com orientação de Cristina Branquinho (cE3c-FCUL) e Amadeu Soares (CESAM-UA), Paula Matos publicou diversos resultados da sua tese em revistas científicas como Journal of Ecology ou Methods in Ecology and Evolution – em que este trabalho fez inclusivamente capa da revista (mais informações aqui).

Os resultados que alcançou ao longo do seu doutoramento levaram-na ainda à Sede das Nações Unidas, onde em conjunto com Cristina Branquinho explicou como os líquenes podem ser utilizados como um indicador ecológico à escala global, no âmbito do 12º Fórum das Nações Unidas sobre Florestas, em maio de 2017 (mais detalhes aqui).

Atualmente como investigadora de pós-doutoramento no grupo ‘Ecology of Environmental Changes - eChanges’ do cE3c, Paula Matos continua a aprofundar esta área, trabalhando no sentido de desenvolver e estabelecer indicadores de alterações globais que possam ser aplicados à escala global, com ênfase nas alterações climáticas.

Em 2017, Paula Matos foi também distinguida com o PhD Merit Award na 3ª edição do Encontro Anual do cE3c, no âmbito do qual podem ler a entrevista que deu nessa altura aqui.

Cetáceos como espécies-chave em modelos de distribuição geográfica nos oceanos

Há muito tempo que Marc Fernandez Morron é fascinado pelo mar e pelos animais que o habitam. Um dos primeiros passos para conhecer melhor estas espécies (ou qualquer espécie) é perceber onde habitam: conhecer o seu padrão de distribuição geográfica e como esse padrão evolui no tempo. E foi assim que Marc Fernandez Morron escolheu trabalhar numa questão com que há muito se interrogava: num ambiente tão dinâmico como os oceanos, como podemos prever qual o padrão de distribuição geográfica de espécies marinhas como os cetáceos, que devido à sua grande mobilidade respondem rapidamente às alterações ambientais no oceano?

“No meu doutoramento estudei o lado mais metodológico da modelação do nicho ecológico no meio marinho, em particular para perceber como a variabilidade da resolução temporal pode ser um fator muito importante”, explica Marc Fernandez Morron. “Usando os cetáceos como grupo-chave e altamente móvel, detetei como para algumas espécies a variabilidade temporal é um fator essencial para descrever o seu nicho ecológico”, acrescenta o investigador, que se doutorou pela Universidade dos Açores, integrado no Grupo de Biodiversidade dos Açores (GBA) do cE3c, com a orientação de José Azevedo (GBA-cE3c), Chris Yesson (Institute of Zoology/Zoological Society of London, ZSL) e Alexandre Gannier (Groupe de recherce sur les cétacés, GREC).

Para este trabalho foram essenciais os dados reunidos através da plataforma MONICET, da qual é co-fundador: uma base de dados online inaugurada em 2008, que conta com o apoio do Governo dos Açores. Várias empresas turísticas de observação de cetáceos do arquipélago recolhem informações sobre os avistamentos nas suas viagens e submetem-nas na plataforma: “Os dados provenientes destas empresas podem fornecer uma informação essencial, que seria quase impossível de conseguir de outra forma devido a restrições operacionais”, frisa o investigador.

Os dados reunidos na plataforma MONICET permitiram já a publicação de vários artigos em revistas como Journal of Biogeography – como noticiámos aqui – e Marine Ecology Progress Series – como noticiámos aqui, tendo sido também noticiado por vários meios de comunicação social.

Atualmente como colaborador do grupo ‘Island Biodiversity, Biogeography & Conservation - IBBC’ do cE3c, Marc Fernandez Morron continua focado em perceber melhor como melhorar as estimativas distribucionais na área dos cetáceos, especialmente o papel das ausências. 

O cE3c no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias

Recorde-se que este é o segundo ano em que investigadores do cE3c são distinguidos por este Prémio: em 2017, ano inaugural desta iniciativa, Ricardo Rocha (colaborador do grupo TMB-cE3c, atualmente na Universidade de Cambridge, Reino Unido) e Alice Nunes (investigadora de pós-doutoramento no grupo eChanges-cE3c) foram distinguidos com o primeiro e segundo lugares respetivamente.

O Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias é organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO) desde 2017 com objetivo de valorizar o trabalho desenvolvido por recém-doutorados ao longo do seu programa doutoral. Na edição deste ano o júri recebeu 15 candidaturas, avaliadas tendo em conta critérios como a inovação do conhecimento para a ciência, o interesse e originalidade do trabalho e o currículo dos candidatos.

A cerimónia de entrega dos prémios terá lugar no 17º Encontro Nacional de Ecologia, que irá decorrer nos dias 15 e 16 de novembro em Évora. Os distinguidos recebem três prémios monetários, no valor de €2500, €1500 e €1000 para o primeiro, segundo e terceiro classificados respetivamente.

Other Articles

  • Investigadores do cE3c integram novo grupo IUCN de Especialistas em Plantas da Macaronésia

    Others Investigadores do cE3c integram novo grupo IUCN de Especialistas em Plantas da Macaronésia

  • Estudante de doutoramento do cE3c distinguido em Concurso Anual de Fotografia da Sociedade Britânica de Ecologia

    Others Estudante de doutoramento do cE3c distinguido em Concurso Anual de Fotografia da Sociedade Britânica de Ecologia

  • Concurso de fotografia, do qual o cE3c é patrocinador, dá origem a exposição no MUHNAC

    Others Concurso de fotografia, do qual o cE3c é patrocinador, dá origem a exposição no MUHNAC

  • Cristina Máguas, Coordenadora do cE3c, eleita Presidente da Federação Europeia de Ecologia

    Others Cristina Máguas, Coordenadora do cE3c, eleita Presidente da Federação Europeia de Ecologia

  • À descoberta da Ecologia em Portugal: as três atividades organizadas pelo cE3c para o Ecology Day

    Others À descoberta da Ecologia em Portugal: as três atividades organizadas pelo cE3c para o Ecology Day