News

Federica Lucati distinguida com a Bolsa de Conservação 2018 da Sociedade Europeia de Herpetologia

5/03/2018. Texto de Marta Daniela Santos.

Federica Lucati, estudante de doutoramento no cE3c, foi distinguida com a Bolsa de Conservação em Herpetologia 2018 atribuída pela Sociedade Europeia de Herpetologia (SEH), para estudar a conservação do tritão-dos-pirinéus (Calotriton asper) face à introdução de peixes de espécies invasoras.

As Bolsas de Conservação em Herpetologia são atribuídas anualmente pela Sociedade Europeia de Herpetologia (SEH), apoiando com até €2000 projetos orientados para a conservação dos anfíbios e répteis da Europa e Bacia do Mediterrâneo com foco numa espécie ou num habitat. Federica Lucati, estudante de doutoramento no cE3c, é a distinguida na edição de 2018, recebendo o valor máximo (€2000) para desenvolver o projeto Conservation of the endemic Pyrenean newt (Calotriton asper) in the age of invasive species: Interlake dispersal and colonisation Dynamics, em colaboração com os investigadores Alexandre Miró e Marc Ventura, do Centro de Estudos Avançados de Blanes (CEAB-CSIC).

Este trabalho insere-se no projeto de doutoramento de Federica Lucati: “O principal objetivo do meu doutoramento é estudar a variabilidade genética e a estrutura populacional de espécies selecionadas de anfíbios, como o tritão-dos-pirinéus (Calotriton asper) e o sapo-parteiro-comum (Alytes obstetricans), como forma de orientar as prioridades de investigação e conservação e conceber medidas de conservação específicas para estas espécies”, explica Federica.

O tritão-dos-pirinéus é, tal como o nome sugere, endémico desta região, habitando regiões de lago e zonas de corrente. Uma das principais ameaças à conservação desta espécie, listada como Quase Ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), é a perda dos seus habitats aquáticos, principalmente devido à introdução de peixes de espécies invasoras.

“Neste projeto iremos investigar os padrões de colonização do tritão-dos-pirinéus em novos ecossistemas e o processo de migração de lagos e zonas de corrente próximas, através de abordagens genéticas e de campo, numa área de colonização recente no Parque Nacional Aigüestortes i Estany de Sant Maurici, nos Pirinéus, em Espanha”, explica Federica Lucati. 

Federica Lucati iniciou em 2014 no cE3c o Programa Doutoral em Biodiversidade, Recursos Genéticos e Evolução (BIODIV), o qual permite aos estudantes incluir no seu plano de trabalhos uma estadia de dois anos numa instituição estrangeira. Federica Lucati encontra-se atualmente no Centro de Estudos Avançados de Blanes (CEAB-CSIC), em Espanha, para o seu segundo e terceiro ano de doutoramento, regressando em 2019 ao cE3c. Tem como orientadores Rui Rebelo (cE3c-FCUL) e Marc Ventura (CEAB-CSIC).


Tags: CE

Other Articles

  • Portugal disponibiliza 150 mil euros para o Parque Nacional da Gorongosa, no âmbito do Programa de Cooperação com a ULisboa

    Others Portugal disponibiliza 150 mil euros para o Parque Nacional da Gorongosa, no âmbito do Programa de Cooperação com a ULisboa

  • As duas nomeadas por Portugal ao Prémio GBIF Jovens Investigadores 2019 fazem parte do cE3c

    Others As duas nomeadas por Portugal ao Prémio GBIF Jovens Investigadores 2019 fazem parte do cE3c

  • cE3c apoia 2ª edição do Concurso Anual de Fotografia em História Natural e Ciência, organizado pelo MUHNAC

    Others cE3c apoia 2ª edição do Concurso Anual de Fotografia em História Natural e Ciência, organizado pelo MUHNAC

  • cE3c marcou presença na 3ª edição do Prémio ECOTROPHELIA Portugal

    Others cE3c marcou presença na 3ª edição do Prémio ECOTROPHELIA Portugal

  • Rui Carvalho, estudante de doutoramento no cE3c, representa Portugal na Final Internacional do FameLab 2019

    Others Rui Carvalho, estudante de doutoramento no cE3c, representa Portugal na Final Internacional do FameLab 2019