News

Celebrar o Dia Mundial do Solo: balanço da edição de 2018


Photos Gallery

6/12/2018. Artigo de opinião de Gil Penha-Lopes. Fotografias de Gil Penha-Lopes.

O cE3c associou-se como co-organizador de um evento que teve por objetivo assinalar o Dia Mundial do Solo esta quarta-feira, 5 de dezembro, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). Ao longo de todo o dia, diversas atividades lúdicas e práticas cativaram crianças e jovens, com o intuito de aumentar a conscientização e a ação para melhorar a saúde do solo (#GrowSoilHealth), no âmbito do projeto GROW.

O Dia Mundial do Solo é celebrado anualmente a 5 de dezembro, com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a sua defesa e gestão sustentável. Em 2018, o tema é a poluição do solo.

Neste evento, co-organizado pelo cE3c, HortaFCUL e FCUL, no âmbito do Observatório GROW, o Dia Mundial do Solo foi comemorado durante 14 horas, das 10h00 às 24h00, envolvendo mais de 300 pessoas que levaram neste dia sementes inspiradoras para regenerar o solo. Durante o dia, organizamos várias atividades, desde conscientização lúdica e didática a cerca de 50 crianças de 7 anos sobre a importância do solo, um almoço compartilhado com estudantes e investigadores, seminários sobre a saúde e poluição do solo, com foco em agrotóxicos e biofertilizantes, assim como o seu uso e impacto em Portugal e no Brasil.

Após as 15h00 todos os presentes puderam conhecer melhor o Observatório GROW, um projeto europeu financiado pela Comissão Europeia através do Horizonte 2020 que envolve investigadores e pessoas apaixonadas pela Terra e que pretendem destacar a importância da saúde do solo. O Observatório GROW já estabeleceu GROW Places em nove países europeus – nos quais são colocados sensores de solo de baixo custo para recolher dados que permitem ajudar a validar modelos de previsão climática através de satélites, num modelo de ciência cidadã – dois dos quais em Portugal: na Herdade da Ribeira Abaixo, estação de campo do cE3c, em Grândola, Alentejo, e no projeto do Vale da Lama, perto de Lagos, no Algarve. Os dados recolhidos irão ajudar a prever a frequência e intensidade de fenómenos climáticos extremos, como secas, inundações e ondas de calor.

De seguida, os presentes participaram em atividades práticas de regeneração do solo, como iniciar uma pilha de composto, “empalhamento” do solo com uma tonelada de material “castanho” – principalmente folhas secas – e plantação de plantas para dar mais estrutura ao solo e reduzir a sua erosão.

Depois das 19h00 fizemos uma meditação guiada que nos levou a uma floresta onde nos pudemos conectar com o solo e árvores iniciando posteriormente uma celebração regenerativa com ótimos DJs e comidas e bebidas locais e orgânicas.

Várias fotografias do evento estão disponíveis aqui.

Agradeço o envolvidmento de tod@s, que venham mais celebrações regenerativas e didáticas como esta!

Other Articles

  • Livro infantil sobre o problema do excesso do azoto é lançado a 5 de dezembro no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva

    Project Livro infantil sobre problema do excesso de azoto lançado a 5 de dezembro no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva

  • Projeto europeu NitroPortugal lança reflexão pública sobre poluição por excesso de azoto

    Project Projeto europeu NitroPortugal lança reflexão pública sobre consequências do excesso de azoto no ambiente

  • Modelar e avaliar alterações climáticas em ilhas europeias: primeira reunião do Grupo de Trabalho Local Açores do projeto SOCLIMPACT

    Project Modelar e avaliar alterações climáticas em ilhas europeias: primeira reunião do Grupo de Trabalho Local Açores do projeto SOCLIMPACT

  • Cerca de 2,5 milhões de dados do Portal de Biodiversidade dos Açores Universidade dos Açores publicados através do GBIF

    Project Cerca de 2,5 milhões de dados do Portal de Biodiversidade dos Açores Universidade dos Açores publicados através do GBIF

  • Banda desenhada portuguesa sobre alterações climáticas a concurso no Prémio “Best Climate Solutions 2018”: votações online decorrem até 15 de outubro

    Project Banda desenhada portuguesa sobre alterações climáticas nomeada para prémio internacional