News

Restaurar os ecossistemas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável


Photos Gallery

24/09/2019. Texto de Marta Daniela Santos, com base no comunicado internacional emitido pelo International Resource Panel.

O restauro de ecossistemas degradados pode dar um enorme contributo para ajudar o mundo a limitar o impacto das alterações climáticas e a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: a conclusão é de um relatório agora publicado pelo International Resource Panel, da autoria de uma equipa internacional de dezenas de especialistas, entre os quais se encontram vários investigadores do cE3c.

Atualmente, cerca de 25% dos ecossistemas terrestres em todo o mundo encontram-se degradados. Na sequência do recente relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC na sigla em inglês), que demonstrou que as alterações climáticas estão a reduzir a capacidade dos solos de sustentarem a humanidade, o presente relatório do International Resource Panel (IRP) demonstra que o restauro ecológico traz benefícios para todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável acordados pelas nações mundiais como parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Estes resultados vêm reforçar a recente iniciativa da Assembleia Geral das Nações Unidas que declarou 2021-2030 como a Década das Nações Unidas para a Recuperação dos Ecossistemas.

O relatório, intitulado Land Restoration for Achieving the Sustainable Development Goals (disponível aqui), foi tornado público a 5 de setembro na 14ª sessão da Conferência das Partes (COP) da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação, que teve lugar em Nova Deli, Índia.

Cristina Branquinho, Ana Catarina Luz, Paula Matos, Alice Nunes e Pedro Pinho são os investigadores do cE3c (FCUL) que integram a equipa de 37 especialistas de todo o mundo que preparou este relatório, tendo contribuído para os capítulos sobre o Objetivo Sustentável 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis – e o Objetivo Sustentável 13 – Ação Climática.

“O restauro ecológico é fundamental para reverter a degradação dos ecossistemas, travar a perda de solo e de biodiversidade e garantir o bem-estar humano, através da recuperação de importantes serviços do ecossistema, não só nas áreas naturais e rurais, mas também nas áreas urbanas. As ações de restauro de ecossistemas são também uma oportunidade de excelência para a mitigação e adaptação às alterações climáticas e para aumentar a resiliência dos sistemas naturais e sociais às mudanças globais que ameaçam o planeta, promovendo o desenvolvimento sustentável”, explica Alice Nunes, uma das autoras deste relatório.

Para além de demonstrar que o restauro e reabilitação de ecossistemas traz benefícios para todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, este relatório demonstra também que os benefícios das ações de restauro ecológico e os fornecidos pela paisagem ou ecossistema restaurados, atuam em escalas temporais diferentes. Os benefícios das ações de restauro ecológico são normalmente concretizados de forma imediata – por exemplo no combate à pobreza, através dos salários ganhos por quem desempenha esta função – enquanto que os benefícios da paisagem ou ecossistema restaurados podem levar anos ou mesmo décadas a concretizar-se – como por exemplo no combate à fome através da produção agrícola.

“Este relatório reforça ainda a importância da modelação quantitativa e qualitativa do restauro ecológico às escalas local e global, considerando diferentes cenários, e da partilha de informação e coordenação entre diferentes projectos, para orientar futuros investimentos. Uma abordagem do restauro à escala da paisagem, tendo em conta a heterogeneidade espacial no potencial para os diferentes usos do solo, e a integração do contributo das diferentes partes interessadas, são também considerados essenciais para maximizar os co-benefícios do restauro ecológico”, explica Alice Nunes.

Other Articles

  • Biologia e Geologia: como os líquenes permitem data superfícies rochosas

    Paper Biologia e Geologia: como os líquenes permitem data superfícies rochosas

  • Distanciamento social face à COVID-19 pode constituir uma faca de dois gumes para microbioma humano

    Paper Distanciamento social face à COVID-19 pode constituir uma faca de dois gumes para microbioma humano

  • Estudo explora relação entre vinculação entre mães e filhos e a toma de antibióticos na infância

    Paper Estudo explora relação entre vinculação entre mães e filhos e a toma de antibióticos na infância

  • Foram registados pela primeira vez sons produzidos por peixes no monte submarino Condor, nos Açores

    Paper Foram registados pela primeira vez sons produzidos por peixes no monte submarino Condor, nos Açores

  • Carros como ferramenta para monitorizar e proteger a biodiversidade

    Paper Carros como ferramenta para monitorizar e proteger a biodiversidade