ALL PUBLICATIONS

Controle e erradicação das térmitas de madeira seca dos Açores. Plano estratégico para os próximos 10 anos (2015-2024) & monitorização - ano de 2016

  • Technical Reports
  • Nov, 2016

Ferreira, M.T. Borges, P.A.V. (2016) Controle e erradicação das térmitas de madeira seca dos Açores. Plano estratégico para os próximos 10 anos (2015-2024) & monitorização - ano de 2016. Universidade dos Açores, Dep. de Ciências e Engenharia do Ambiente, Angra do Heroísmo, 28 pp.

Summary:

A térmita de madeira seca Cryptotermes brevis (Walker) (Insecta, Isoptera) é uma praga que ataca as estruturas das habitações estando confirmada a sua presença em seis das nove ilhas que constituem o arquipélago dos Açores. A monitorização da praga foi realizada em 2016 nas cidade de Angra do Heroísmo (Terceira), Ponta Delgada (São Miguel) e Horta (Faial) e nas localidades de Santa Cruz das Ribeiras e Calheta do Nesquim (Pico), Calheta (São Jorge) e Vila do Porto e Maia (Santa Maria). A monitorização é realizada pela captura de alados, térmitas reprodutoras com a capacidade de voo, com armadilhas e consequente contagem desses indivíduos. Estes dados são posteriormente processados em Sistema de Informação Geográfica (SIG), obtendo-se um mapa com as zonas mais afectadas e as que têm maior risco de infestação. As zonas mais afectadas pela praga são as cidades de Angra do Heroísmo e Ponta Delgada, nomeadamente nas zonas centrais e mais antigas das cidades.

Nas restantes ilhas, os níveis de infestação são mais baixos, sendo que é possível formar um plano de erradicação desta praga nas ilhas do Pico, São Jorge e Santa Maria. Uma avaliação in loco destes locais revelou quais seriam as medidas necessárias para esta erradicação e após contactos com empresas locais de “pest control”, foi possível averiguar qual seria o custo potencial de uma intervenção de erradicação nestas ilhas.