News

Resultados de inquérito dinamizado pelo cE3c revelam quais os espaços verdes preferidos de Lisboa

5/09/2018. Texto por Marta Daniela Santos. Fotografia de João Pimentel Ferreira, disponível aqui.

A proximidade de casa ou do trabalho, o sossego e a biodiversidade: são os trunfos dos jardins mais frequentados de Lisboa, de acordo com as respostas de mais de duas mil pessoas ao inquérito dinamizado pelo Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa sobre os espaços verdes da cidade.

Os Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian são apontados como os preferidos pelas maioria das pessoas que responderam a este inquérito, cujas respostas foram recolhidas online no início de 2017 (como noticiámos aqui). Os outros quatro espaços verdes mais referidos foram, por ordem decrescente: os Jardins do Campo Grande, o Jardim da Estrela (Jardim Guerra Junqueiro), o Parque Eduardo VII de Inglaterra e o Parque Florestal de Monsanto.

A proximidade de casa ou do trabalho surge como razão determinante para a escolha de frequentar estes espaços verdes, logo seguida da sua tranquilidade e sossego, a biodiversidade e beleza que possuem, e o facto de terem parque infantil.

Participaram neste inquérito 2091 pessoas, 51% do sexo feminino, e na sua maioria com idades compreendidas entre os 25 e 44 anos.

Os resultados deste inquérito - cujo desenvolvimento foi liderado por Ana Luz  (eChanges-cE3c) em colaboração com o UrbanLab, liderado por Pedro Pinho (eChanges-cE3c) - serão em breve publicados em detalhe num artigo científico. “Esperamos que estes resultados possam apoiar o planeamento da estrutura verde das cidades Mediterrânicas no geral, e de Lisboa em particular”, refere Ana Luz.

Este inquérito surge no âmbito do projeto Europeu GREEN SURGE - Green Infrastructure and Urban Biodiversity for Sustainable Urban Development and the Green Economy, liderado por Margarida Santos-Reis (CSEE-cE3c), e do Plano de Ação Local para a Biodiversidade 2020 da Câmara Municipal de Lisboa. Da equipa de trabalho fazem também parte Cristina Branquinho, investigadora do cE3c, e Filipa Grilo, Paula GonçalvesCristiana Aleixo, Raquel Mendes e Maartje Buijs, estudantes no cE3c, em colaboração com Inês Metelo da Câmara Municipal de Lisboa.

 

Relacionado:

Resultados também disponíveis na página da Câmara Municipal de Lisboa, aqui.

Nos media: [Diário de Notícias], [Time Out], [V Digital], [InfoFCUL].


Tags: eChanges

Other Articles

  • Financiamento de 2,4 milhões de euros aprovado para o SMART FARM CoLAB, do qual o cE3c é parceiro

    Project FCT aprovou a criação do SMART FARM CoLAB, do qual o cE3c é parceiro

  • Estudo da variabilidade genética em ecossistemas invadidos por acácia distinguido com €10 000

    Project Estudo da variabilidade genética em ecossistemas invadidos por acácia distinguido com €10 000

  • cE3c dinamiza inquérito online sobre espaços verdes do município de Oeiras

    Project cE3c dinamiza inquérito online sobre espaços verdes do município de Oeiras

  • Banda desenhada sobre alterações climáticas nomeada para a edição de 2018 do Prémio Best Climate Solutions

    Project Banda desenhada sobre alterações climáticas nomeada para a edição de 2018 do Prémio Best Climate Solutions

  • The final cries of the unheard Moroccan cicadas: Gonçalo Costa, researcher at cE3c, awarded with National Geographic Early Career Grant

    Project In interview: Gonçalo Costa, researcher at cE3c, awarded with National Geographic Early Career Grant