News


Photos Gallery

ALL NEWS

Machos e fêmeas de morcego respondem de forma diferente à modificação do seu habitat? Estudo é capa da revista Biotropica

6/11/2017. Texto de Marta Daniela Santos.

O estudo Does sex matter? Gender-specific responses to forest fragmentation in Neotropical bats” faz capa da edição de novembro da revista científica Biotropica, com uma fotografia da autoria de Oriol Massana Valeriano e Adrià López-Baucells, estudante de doutoramento no cE3c-FCUL.

O estudo agora publicado em papel (e já noticiado aqui aquando da publicação online) demonstra que machos e fêmeas de morcego respondem de forma diferente à fragmentação e degradação dos seus habitats, uma das mais sérias ameaças à biodiversidade. Trata.se do primeiro estudo do género realizado com morcegos, e as suas conclusões irão permitir o desenvolvimento de planos de conservação mais específicos e eficazes.

Na fotografia, vemos um morcego da espécie Carollia perspicillata a voar entre as gotas da chuva na Amazónia Central, no Brasil. Os créditos da fotografia são de Oriol Massana Valeriano e Adrià López-Baucells (CE-cE3c).

Neste estudo participaram os membros cE3c Ricardo Rocha, Diogo Ferreira, Adrià López-Baucells, Fábio Farneda, Jorge Palmeirim e Christoph Meyer.

 

Referência do artigo:

Rocha R, Ferreira DF, López-Baucells A, Farneda FZ, Carreiras JMB, Palmeirim, J and Meyer C (2017) Does sex matter? Gender-specific responses to forest fragmentation in Neotropical bats. Biotropica. DOI: 10.1111/btp.12474

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/btp.12474/abstract

Other Articles

  • Alterações climáticas: segundo alerta da comunidade científica à humanidade

    Paper Alterações climáticas: segundo alerta da comunidade científica à humanidade

  • Morcegos, vírus e uma cultura de medo: a receita para o desastre?

    Paper Morcegos, vírus e uma cultura de medo: a receita para o desastre?

  • Bats, virus and a culture of fear: recipe for disaster?

    Paper Bats, virus and a culture of fear: recipe for disaster?

  • Humanos pré-históricos já formavam grupos que viviam redes sociais complexas há 34 000 anos

    Paper Humanos pré-históricos já formavam grupos que viviam em redes sociais complexas há 34 mil anos

  • Todos os caminhos vão dar a...adaptação?

    Paper Todos os caminhos vão dar a...adaptação?