News

ALL NEWS

Projeto de biodiversidade nos Açores fornece dados detalhados sobre a abundância de 286 espécies de artrópodes

8/01/2017. Texto por Marta Daniela Santos com base em comunicado de imprensa.

Foi agora publicada na revista Biodiversity Data Journal a lista completa das 286 espécies de artrópodes identificadas nos projectos de biodiversidade dos Açores BALA I (1999-2004) e BALA II (2010-2011). Nestes projectos participaram vários investigadores cE3c, bem como investigadores das Universidades de Atenas e Oxford. Os resultados sublinham a necessidade de alargar as abordagens aplicadas a outros habitats dos Açores e a outros grupos taxonómicos menos estudados.

Entre 1999 e 2004 teve lugar o projeto BALA I - Biodiversidade dos Artrópodes da Laurissilva nos Açores, impulsionado por investigadores do Grupo de Biodiversidade dos Açores (GBA). Tratou-se de um projeto de biodiversidade a longo prazo com o objetivo de obter dados detalhados sobre a distribuição e abundância de uma fracção significativa da fauna de artrópodes que vivem nas florestas nativas - Laurissilva - remanescentes em sete das nove ilhas dos Açores (na Graciosa e no Corvo já não existe floresta nativa). Ao longo desses cinco anos foram realizadas amostragens em 100 locais de 18 fragmentos de floresta nativa.

Mais recentemente, entre 2010 e 2011, este projecto foi alargado por investigadores do Grupo de Biodiversidade dos Açores e das Universidades de Atenas e Oxford: o BALA II permitiu uma segunda amostragem de dois locais por cada um dos 18 fragmentos de floresta nativa já seleccionados no BALA I.

O artigo agora publicado no Biodiversity Data Journal reune a lista completa das 286 espécies para as quais foi possível ter uma identificação correcta, incluindo 18 espécies descritas como novas para a ciência. Entre estas destacam-se 11 espécies de aranhas, três delas especializadas em viver nas copas das árvores endémicas dos Açores. Entre as restantes nove espécies novas para a ciência destacam-se espécies muito raras, especializadas em viver nos ambientes muito húmidos do solo dos Açores, onde os danos provocados por plantas invasoras torna a sua conservação um desafio importante para as próximas décadas (+ info aqui e aqui). Neste estudo, coordenado pelo investigador cE3c Paulo Borges, os investigadores acrescentaram também informações detalhadas sobre a distribuição e abundância destas espécies.

A base de dados que resultou destes dois projetos inspirou a publicação de muitos estudos nos últimos dez anos, incluindo estudos macro-ecológicos que avaliam a abundância, variância espacial e distribuição das espécies de artrópodes, os efeitos da perturbação e integridade biótica das florestas nativas e a fiabilidade dos estimadores de riqueza de espécies. Estes dados permitiram igualmente o estabelecimento de prioridades de conservação para as espécies de artrópodes endémicas dos Açores e permitiram estimar uma previsão de extinção para vários grupos de artrópodes (dívida de extinção*). O presente estudo inspirou também o desenvolvimento do Portal da Biodiversidade dos Açores e do ISLANDLAB (repositório sobre dados de projectos de biodiversidade nos Açores e Madeira).

Estes resultados sublinham a necessidade de alargar as abordagens aplicadas nestes projetos a outros habitats dos Açores e, mais importante, a outros grupos taxonómicos menos estudados (por exemplo, as moscas - Diptera e as vespas - Hymenoptera).

"Estes passos são fundamentais para uma avaliação mais precisa da biodiversidade no arquipélago dos Açores, e esperamos que possa inspirar inventários de biodiversidade semelhantes noutras ilhas", afirmam os autores.

 

*’Dívida de extinção’ significa que existe um conjunto de espécies que se vai extinguir no futuro devido a acontecimentos do passado, e ocorre porque existe um atraso entre a ocorrência de um acontecimento de perturbação (por exemplo, diminuição de área de floresta) e o seu impacto numa espécie.

 

Na imagem: Leiobunum blackwalli. Fotografia de Paulo Borges.

 

Referência completa do artigo:

Borges, P.A.V., Gaspar, C., Crespo, L., Rigal, F., Cardoso, P., Pereira, F., Rego, C., Amorim, I.R., Melo, C., Aguiar, C., André, G., Mendonça, E., Ribeiro, S.P., Hortal, J., Santos, A.M., Barcelos, L., Enghoff, H., Mahnert, V., Pita, M.T., Ribes, J., Baz, A., Sousa, A.B., Vieira, V., Wunderlich, J., Parmakelis, A., Whittaker, R.A., Quartau, J.A.Serrano, A.R.M. & Triantis, K.A. (2016). New records and detailed distribution and abundance of selected arthropod species collected between 1999 and 2011 in Azorean native forests. Biodiversity Data Journal. 4, e10948. DOI:10.3897/BDJ.4.e10948. 


Tags: IBBC CE ESFE Cobig2

Other Articles

  • Novos resultados mudam o paradigma no estudo de uma das distrofias musculares congénitas mais frequentes

    Paper Novos resultados mudam o paradigma no estudo de uma das distrofias musculares congénitas mais frequentes

  • Será possível prever a evolução?

    Paper Será possível prever a evolução?

  • Tojos: arbustos espinhosos com uma história evolutiva surpreendente

    Paper Tojos: arbustos espinhosos com uma história evolutiva surpreendente

  • Investigadores cE3c coordenam  estudo sobre o futuro da investigação em Biologia de Ilhas

    Paper Investigadores cE3c coordenam estudo sobre o futuro da investigação em Biologia de Ilhas

  • Descobertas duas novas espécies de cigarra em Marrocos

    Paper Descobertas duas novas espécies de cigarra em Marrocos